A Vida Virtuosa: 3-Ordem

 A Vida Virtuosa: Ordem - Torne-se um Mestre do Universo



Traduzido de Art Of Maninles


Reserve um lugar para cada coisa; deixe cada parte da sua vida ter seu tempo.



Ben Franklin escolheu a Ordem como sua terceira virtude porque "permitiria [a ele] mais tempo para atender a [seus] projetos e [seus] estudos". Franklin entendeu que, se ele queria que as coisas importantes de sua vida fossem feitas, ele tinha que ter certeza de que as pequenas coisas não atrapalhariam.

Quase três séculos se passaram desde que o velho Ben começou a viver perfeitamente a virtude da Ordem. A vida dos americanos hoje é muito mais ocupada e cheia de distrações do que Ben jamais poderia ter imaginado. As pessoas se esforçam para organizar suas vidas para que possam ter paz e tranquilidade. Toda uma indústria surgiu ajudando-os a fazer isso. Livros, blogs, revistas e consultores oferecem conselhos sobre como você pode limpar sua desordem. No entanto, apesar das informações por aí, as pessoas ainda têm dificuldade em viver de acordo com essa virtude. Porque?


Por que é tão difícil fazer sua cama todos os dias

É uma história comum. Um homem acorda e percebe que sua vida está uma bagunça completa. Sua cama nunca é feita, papéis e revistas estão empilhados por todos os lados e roupas sujas caem no chão.

Então, este homem decide que vai colocar sua vida em ordem. Ele resolve fazer a cama todas as manhãs, compra uma caixa de entrada para todos os seus papéis e tem como objetivo colocar suas roupas no cesto. As coisas vão bem por cerca de uma semana, mas ele logo se perde. Sua casa começa a ficar tão bagunçada quanto antes de ele começar.

Quase parece que fazer a cama todos os dias e manter sua vida em ordem é inútil. Em certo sentido, é. Cada vez que você tenta se organizar, está lutando contra uma força natural que impulsiona todo o universo: a entropia.

Para entender o que estamos enfrentando, é necessário entender um pouco de termodinâmica. Acho que essa abordagem científica para entender a Ordem seria apreciada por Franklin.

(Esta é uma explicação muito superficial, então, por favor, todos vocês, cientistas, não me digam que deixei de mencionar algo. Eu sei disso, o objetivo era ser simples.)


A primeira lei da termodinâmica nos diz que existe uma quantidade fixa de energia no universo. A energia pode ser alterada de uma forma para outra, mas nunca criada ou destruída.

Embora a energia não possa ser destruída, é de pouca utilidade para qualquer pessoa se não puder fazer as coisas acontecerem. Infelizmente, a segunda lei da termodinâmica nos diz que todas as mudanças de energia diminuem a quantidade de energia útil no universo.

Considere uma caixa de pequenos ímãs. Se os pequenos ímãs estiverem alinhados na mesma direção, como um grupo, eles podem atrair outros objetos de metal. Se eles não estiverem alinhados na mesma direção, os ímãs individuais cancelam o efeito uns dos outros e não podem fazer um trabalho útil. O mesmo é verdade para a energia - é útil quando é ordenada, mas quando está desordenada, seus efeitos se anulam.

Entropia é uma medida da falta de Ordem na energia.


Em outras palavras, a entropia é uma medida de aleatoriedade ou "desorganização". E, infelizmente, quando abandonado a si mesmo, todo sistema tende a uma existência de baixa energia e alta entropia. Tudo se move para o caminho de menor resistência. Isso inclui todo o universo. Desde sua criação, a energia do universo tornou-se mais desorganizada e continuará assim até que não haja mais ordem alguma.

Agora você pode entender melhor por que manter sua vida organizada é um desafio tão grande. Você já deixou cair algo no chão e pensou em pegá-lo, mas sentiu uma força quase tangível puxando você para não o fazer? Esta é a atração da entropia.


Torne-se um Mestre do Universo

Ao compreender as leis da termodinâmica, você pode aproveitá-las para seu benefício e se tornar um mestre do universo.

Alguns podem jogar a toalha para colocar suas vidas em ordem, sabendo que o universo acabará se desintegrando em uma aleatoriedade completa. Mas antes de desistir, considere que existem duas maneiras possíveis de superar a entropia. O primeiro é o acaso, mas um arranjo ordenado aparecendo por acaso é praticamente impossível (você já acordou com uma sala magicamente limpa?).

A outra maneira possível de superar a entropia é aumentar a ordem no sistema. O problema com esta solução é que conforme uma pessoa tenta ordenar o sistema, ela está trabalhando - e assim a diminuição da entropia do sistema seria equilibrada por um aumento substancial na entropia dessa pessoa. Assim, a entropia aumentaria como um todo.

Aqui está a resposta de por que os regimes organizacionais da maioria das pessoas nunca se mantêm. Existem centenas de livros e blogs que lhe dirão como vencer a desordem e colocar sua vida em ordem. Muitos sugerem a criação de um sistema elaborado para mantê-lo no caminho certo. Esses sistemas podem fazer um trabalho maravilhoso na redução da entropia em sua organização pessoal, mas você precisa despender uma grande quantidade de energia para configurá-los e mantê-los. Assim, enquanto você diminui a quantidade de entropia em uma área de sua vida, você a aumenta dentro de você. É por isso que muitas pessoas têm tanta dificuldade em aderir a sistemas organizacionais complexos. A quantidade total de entropia e desorganização realmente aumenta e a pessoa joga a toalha.

Felizmente, existe uma pequena lacuna. Voltemos ao exemplo dos ímãs:


Imagine que você deve movê-los para uma caixa diferente para usá-los. Ao movê-los, você pode colocar um pouco na nova caixa ao contrário - a energia útil terá diminuído. É claro que quanto mais lenta e cuidadosamente você fizer a troca, menos erros você cometerá. O mesmo é verdade para a energia - a entropia no sistema sempre aumenta, a menos que a taxa de mudança seja infinitesimalmente pequena.


Assim, para evitar o desequilíbrio de energia causado por tentar organizar sua vida usando um sistema elaborado, você deve empregar as menores mudanças possíveis. Dessa forma, você não aumenta a quantidade de entropia em outras áreas da sua vida.


O segredo de dominar o universo

Mas essas pequenas mudanças podem realmente fazer a diferença? Sim, elas podem.

O segredo para trazer Ordem à sua vida e superar a entropia e, ao mesmo tempo, aumentá-la minimamente em outras áreas da vida é simples: FAÇA AGORA. Sem sistema, sem caixas de entrada, sem cartões de índice. Apenas faça agora. Depois de sair da cama, vire-se e faça isso. Depois de receber uma correspondência, tome providências imediatamente. Assim que terminar de comer, limpe a cozinha. Se você deixar cair uma meia no chão, pegue-a sem hesitar. Não é tão fácil quanto parece, porque sempre que um pouco de desordem aparece em sua vida, você sentirá a entropia puxando-o para ignorá-la. Você deve treinar para repetir o mantra "faça agora!" e empurre essa força.

Se você descobrir que não pode fazer algo agora, anote em um caderno simples. Não há necessidade de desenvolver um sistema elaborado de captura e arquivamento. Apenas escreva para não esquecer.

Mas e as tarefas que exigem várias etapas, aquelas nas quais você não pode realizar uma ação imediatamente? Você os alcançará eventualmente. Eles são grandes; você não vai se esquecer de fazê-los e não precisa de um sistema para fazê-los. Enquanto isso, ao criar uma casa, um carro e um local de trabalho organizados, você cria um ambiente do qual as tarefas maiores fluirão com muito mais facilidade.

Muito antes dos “7 hábitos das pessoas altamente eficazes” e “Fazer as coisas acontecerem”, homens como Theodore Roosevelt realizavam coisas incríveis sem um sistema elaborado. Você não precisa estabelecer um regime louco também. Tudo que você precisa saber para se tornar um Mestre do Universo são três pequenas palavras: faça isso agora, caramba. Ok, quatro palavras.

Seguindo nossas virtudes, aguardo vocês em nosso próximo post, Decisão....




A vida virtuosa: 4-Decisão

 A vida virtuosa: Decisão


Tradução de Art Of Maninless


Decida-se em realizar o que você deve; execute sem falha o que você resolver.


Se você deseja ter sucesso na vida, deve desenvolver a virtude da Decisão. Decisão é a firme determinação de realizar o que você se propôs a fazer. Ben incluiu a decisão como sua quarta virtude, porque alcançá-la garantiria que ele superaria as outras nove.

Eu vi inúmeras pessoas estabelecidas com as melhores intenções, apenas para falhar porque sua decisão era fraca. Mas também vi muitos outros terem sucesso, apesar das probabilidades, porque sua decisão de conquistar os consumiu. Um exemplo supremo de resolução vem do líder militar macedônio, Alexandre, o Grande, e seu cerco a Tiro.


Resolução de Alexandre para conquistar Tiro


Alexandre, o Grande, um dos maiores homens que já existiram, partiu no início dos anos 20 para conquistar o Império Persa. Em sua busca para cumprir essa tarefa aparentemente impossível, ele conquistou cidade após cidade. Entre elas estava a cidade fenícia de Tiro, que serviu como base naval persa. Uma vitória em Tiro era uma necessidade estratégica para Alexandre. O problema era que Tiro era praticamente inexpugnável. A cidade ficava em uma ilha a uma milha da costa do Líbano. Além disso, a cidade era protegida por muralhas que chegavam a 60 metros de altura em alguns pontos e a 50 metros de espessura.
Conquistar tal fortaleza parecia impossível para todos, exceto para Alexandre. Brilhante, confiante e corajoso, Alexandre nunca desistiu de nenhum desafio. Ele ordenou que seus homens começassem a construir uma ponte ou molhes para a ilha para que pudessem trazer as torres de cerco para perto das muralhas da cidade. A construção começou em janeiro de 332.
A marinha de Tiro atirou flechas em chamas nas equipes de trabalho. Os ataques tornaram a construção quase impossível. Alexandre não se intimidou. Ele colocou duas torres equipadas com catapultas na ponte de terra para defender seus trabalhadores dos navios de ataque. Os tírios reagiram enchendo seus navios com uma substância altamente inflamável, incendiando-os e jogando-os contra a ponte e as torres.

Meses de trabalho árduo foram consumidos pelas chamas. Em vez de desistir, Alexandre ordenou que suas tropas recomeçassem, desta vez tornando a ponte ainda mais larga. O progresso na nova ponte ocorreu de acordo com o planejado e ela se aproximou cada vez mais da ilha.
Enquanto a construção do molhe avançava, Alexandre começou a planejar um ataque naval à cidade. Ele convocou navios de seus territórios recém-conquistados e começou a bloquear os portos de Tiro. Utilizando aríetes em seus navios, Alexandre começou a testar os muros da cidade em busca de pontos fracos. Mas os tírios colocaram blocos de pedra debaixo d'água para impedir essas trirremes. Isso, é claro, não impediu Alexandre. Ele trouxe navios com guindastes enormes para retirar meticulosamente as pedras do caminho.
Numa madrugada de julho de 332, Alexandre preparou suas tropas e armas para um cerco bem orquestrado. Seus soldados atacaram da ponte e dispararam enxames de flechas. Os aríetes dos navios quebraram as paredes. Catapultas lançaram pedras. Uma pequena brecha foi criada no lado sul da ilha e as tropas avançaram. Assim que o exército macedônio entrou na cidade, eles facilmente alcançaram a guarnição e conquistaram a invencível Tiro. Alexandre levou nove meses para realizar o que se propôs a fazer. Ele nunca duvidou que teria sucesso.


Desenvolva sua Decisão


Tornar-se uma pessoa mais resoluta exigirá que você vá fundo e encontre a vontade de superar quaisquer obstáculos em seu caminho para atingir seu objetivo. Ninguém pode fazer isso por você, exceto você. Mas aqui estão algumas sugestões que podem ajudá-lo em sua busca por se tornar um homem de firmeza inabalável.

1. Decida como você agirá ao se deparar com um desafio, antes de enfrentá-lo. Existem certas questões morais e éticas que você certamente enfrentará durante sua vida. Não deixe que essas decisões sejam tomadas no calor de um momento. Se o fizer, é provável que a fraqueza assuma o controle e você fará a escolha mais fácil e, às vezes, a errada. Decida agora o que você fará ou não, e nunca mais terá que tomar essas decisões.

2. Seja extremamente confiante. Pouco antes do cerco de Alexandre a Tiro, Dario III, rei da Pérsia, ofereceu a Alexandre uma trégua, um terreno e a mão de sua filha em casamento. Alexandre recusou a oferta e instruiu Dario a doravante referir-se a Alexandre como "Senhor da Ásia", e não como um igual. Ele acrescentou: "Vou persegui-lo, onde quer que você esteja." Nunca duvide de que você pode realizar o que se propôs a fazer e não se comprometer.

3. Anote seus objetivos todos os dias. Ao escrever seus objetivos todos os dias, você se concentra na tarefa que deseja realizar. Saber exatamente o que você deseja realizar o manterá motivado para manter sua determinação, mesmo quando os tempos ficarem difíceis.

4. Mude sua estratégia. As pessoas muitas vezes perdem a determinação porque não têm sucesso. Mas muitas vezes o fracasso não ocorre porque a tarefa é impossível, mas porque a estratégia errada está sendo usada. Albert Einstein disse a famosa frase: “Insanidade é fazer a mesma coisa repetidamente e esperar resultados diferentes”. Se você perceber que algo em sua vida não está funcionando, mude. Você deve ser flexível em sua busca para ter sucesso. Isso é o que Alexandre fez. Ele começou com a ideia dos molhes, mas quando isso por si só não funcionou, ele acrescentou catapultas e navios de guerra.

5. Recompense-se. Se a tarefa que você se propôs a realizar for ótima, divida-a em etapas menores e recompense-se depois de realizar cada uma. Os homens de Alexandre eram famosos por serem supremamente leais a ele. Ele criou essa lealdade e manteve forte a resolução de seus homens, reconhecendo e recompensando-os individualmente pelos bravos feitos em batalha. Aplique este mesmo princípio em sua própria vida. Depois de cumprir uma etapa, saia e mime-se com algo. Não precisa ser caro. Comprar sua revista favorita ou uma refeição em sua lanchonete favorita recompensa a si mesmo por um trabalho bem feito e o manterá motivado para seguir em frente. 


Tradução: Paulo Maurício M. Magalhães

A Vida Virtuosa: 2-Silêncio

 A Vida Virtuosa: Silêncio


Não fale senão o que pode beneficiar os outros ou a si mesmo; Evite conversas triviais.


Claramente, Ben não estava se referindo à solidão monástica quando apresentou o silêncio como uma virtude. Em vez disso, ele tinha em mente a capacidade de saber a hora e as palavras adequadas para falar. Um cavalheiro sempre foi julgado por sua maneira de falar, mas nossa era moderna apresenta uma série de dificuldades nessa área que Franklin nunca enfrentou.

Seja por egoísmo ou simples ignorância, muitos homens estão se afogando ao tentar navegar nas águas da comunicação adequada. Aqui estão quatro áreas da vida onde os homens podem aplicar a virtude do silêncio e tornar o mundo um pouco mais agradável para todos.


O celular: aplicando a virtude do silêncio com seu telefone celular


Muitas de nossas conversas agora acontecem por meio do sempre onipresente telefone celular. Assim como a Primeira Guerra Mundial foi especialmente sangrenta porque a tecnologia na artilharia progrediu mais rápido do que o desenvolvimento de novas táticas militares, também o uso do telefone celular é um campo minado sem controle porque a etiqueta do telefone celular não acompanhou o crescimento. Mas a etiqueta do telefone celular é uma excelente maneira de mostrar que você é um cavalheiro bem-educado. Aqui estão algumas regras a obedecer:


1. Não fale no seu telefone celular quando você tiver um público cativo.

Lembra do colégio, quando você e seus amigos dirigiam gritando, rindo e explodindo sua música? Você pensou que era a pessoa mais legal que já existiu. Então, quando você chegou aos 20 anos, viu os mesmos alunos do ensino médio e pensou "que bando de idiotas". As coisas sempre parecem muito mais aceitáveis quando é você quem as faz. Deve ser por isso que as pessoas têm conversas barulhentas e desagradáveis, apesar de outras pessoas estarem presas nas proximidades delas. Lembre-se de quando você ficar tentado a fazer isso: você viu aquele cara; não seja aquele cara.


2. Não fale ou atenda seu telefone celular enquanto fala com QUALQUER pessoa pessoalmente.

Não atenda o telefone enquanto conversa com um ser humano real. Não há exceções a esta regra. Pense nisso: se você estivesse em uma festa conversando com um amigo e outra pessoa aparecesse, você interromperia imediatamente a conversa com o primeiro amigo e voltaria abruptamente sua atenção para a nova pessoa? Bem, talvez você faria, mas você provavelmente é uma ferramenta.


3. Não use seu telefone em qualquer lugar onde as pessoas esperam uma certa atmosfera.

Existem certas situações em que as pessoas esperam que prevaleça um silêncio respeitoso. Um telefone celular não deve estourar essa bolha de ambiente. Portanto, você nunca deve usar seu telefone celular em funerais, casamentos, aulas, missas, filmes, peças de teatro, museus, etc. Ao permitir que seu telefone celular toque, quanto mais falar nele, você anuncia ao mundo que sua conversa é mais importante do que as ruminações de todos os outros na sala. É o cúmulo da arrogância. As pessoas protestarão dizendo que suas ligações são muito importantes. Ao que eu digo, o que as pessoas faziam nos anos 90 ?? Aliás, o que as pessoas fizeram durante quase toda a existência humana? De alguma forma, nossos ancestrais continuaram vivos. Você também.



Não fale, a menos que você possa melhorar o silêncio.


Aplicando a Virtude do Silêncio com Atendimento ao Cliente


Hoje, os homens muitas vezes têm falta de tempo, estão estressados e sujeitos a aborrecimentos diários. Essas frustrações são, então, freqüentemente descontadas nas pessoas do setor de serviços. Muitas vezes feitos para se sentirem como peões em suas vidas normais, esses homens veem suas interações com as pessoas no setor de serviços como uma oportunidade de finalmente serem tratados como um rei e mandar em alguém.


1. Não descarregue sua raiva naqueles que não são os culpados pelo seu problema.

Rude é o homem que descarrega suas frustrações em quem está mais próximo, seja por culpa deles ou não. Esse cara vai gritar com o garçom se houver um fio de cabelo na comida. Ele vai gritar com o representante de suporte de computador porque seu computador travou. Ele vai gritar com a pessoa no balcão da passagem aérea porque ele estava atrasado e o avião não esperava por ele. Guarde a sua indignação para a verdadeira causa do seu problema, especialmente se essa pessoa for você.


2. Não fale no seu telefone celular enquanto fala simultaneamente com alguém que está servindo você.

Algumas pessoas falam ao celular enquanto fazem o pedido e pagam por ele. Essas pessoas acreditam que a pessoa que executa o registro é apenas um autômato projetado para fazer suas licitações e, portanto, elas precisam apenas dedicar metade de sua atenção para lidar com esse robô. Eles também acreditam que a pessoa com quem estão falando ao telefone não se importa em ser ignorada periodicamente. Eles estão errados em ambos os casos.


3. Tenha um pouco de paciência

Na Itália, as pessoas demoram-se horas no jantar enquanto vários pratos são servidos lentamente. Na América, os homens explodem quando seu aperitivo de cebola em flor sai 5 minutos depois. E agem como se a avó morresse se o hambúrguer fosse coberto com o queijo errado. Esses homens acreditam que pagar US $ 8,00 por uma refeição lhes dá o direito de ser rei por um dia. Eles precisam seriamente de alguma perspectiva.

4. Errar por compreender mal 

Antes de repreender alguém por aquilo que você acredita ser um serviço inferior, reserve um momento para se colocar no lugar dessa pessoa. Seu garçom demora para trazer seu pedido? Sua seção provavelmente acabou de ser atingida, algum garoto derrubou seu refrigerante no chão e um dos cozinheiros avisou que estava doente. Ele pode muito bem estar fazendo o melhor que pode. Nunca sabemos totalmente o que acontece nos bastidores da vida das pessoas. A mulher irritadiça que está fazendo seu café acabou de receber os papéis do divórcio. A mulher desmiolada que verifica suas compras está tendo problemas para se concentrar porque seu filho está doente no hospital. Você nunca sabe toda a história. Portanto, dê uma folga a essas pessoas.


É melhor manter a boca fechada e deixar que as pessoas pensem que você é um tolo do que abri-la e tirar todas as dúvidas. ~ Mark Twain


A Internet: Aplicando a Virtude do Silêncio na Internet


A beleza da internet é que ela permite um fluxo livre de comunicação de uma forma sem precedentes. No entanto, isso também significa que a comunicação na Internet não está sujeita às mesmas regras de etiqueta que se aplicam à vida pública. Extrema grosseria e incivilidade afligem fóruns e blogs. É como se houvesse uma competição para decidir quem poderia dizer a coisa mais chocante e cáustica para dizer. Essa forma severa de incivilidade cria um ambiente de hostilidade que impede o diálogo produtivo e o debate.


1. Nunca diga algo a um estranho na Internet que não diria a um estranho pessoalmente.

A Internet oferece um manto de anonimato por trás do qual as pessoas se sentem livres para dizer o que quiserem. No entanto, as palavras que escrevemos e falamos são nossas criações. Devemos assumir a propriedade por eles. Nunca escreva algo que você não ficaria orgulhoso de ter associado ao seu nome verdadeiro. Antes de clicar em “Enviar” em um e-mail ou comentário de blog, pare e pergunte-se: “Eu usaria essas palavras se essa pessoa estivesse bem na minha frente?” Caso contrário, reformule sua comunicação. Pensar antes de publicar algo na web pode ajudar a aumentar a civilidade na rede.


2. Não ataque as pessoas pessoalmente

Certamente aqui no AoM e na Internet em geral, você é livre para discordar das idéias dos outros. Mas não ataque pessoalmente as pessoas por trás dessas idéias. Muitos usuários de blog farão um comentário válido apenas para terminar com "Você é um idiota!" E alguns irão dispensar completamente a parte do argumento válido. Usar ataques pessoais não acrescenta nada à conversa e apenas mostra que você não tem nada perspicaz ou inteligente a oferecer.


3. Não apenas desmistifique as coisas

Aqui na internet a desconstrução pós-moderna está viva e bem. A energia de muitos usuários da Internet é dedicada a abrir buracos em todas as ideias que cruzam seu caminho. Mas o cinismo é fácil. Desmistificadores crônicos não fazem nenhum trabalho árduo necessário para criar algo, e então eles mal levantam um dedo para derrubar as coisas. Os usuários do Digg são notórios por isso. Poderia haver uma postagem sobre um homem salvando um ônibus cheio de bebês com cheiro de lavanda de um rio e algum usuário de digg encontraria uma maneira de fazer um comentário sarcástico e cáustico sobre isso. Não há nada de errado com a crítica, mas seja construtivo com suas críticas. Se você não tem nada de substantivo a acrescentar à conversa, é melhor ficar em silêncio.


4. Pare a vulgaridade excessiva

Nada mostra uma mentalidade juvenil e uma falta de classe como a vulgaridade excessiva. Embora a linguagem obscena também esteja aumentando nas conversas normais, a proliferação de palavrões na Internet é excessiva. Por causa do excesso de informações na Internet, os homens sentem que devem temperar seus comentários com a linguagem exagerada para evitar que se percam na confusão. Mas se tais acréscimos são necessários para chamar a atenção, você claramente não tinha nada significativo a dizer em primeiro lugar. Antes de publicar um comentário com a bomba F usada como qualquer outra palavra, tente encontrar outra maneira mais respeitosa de dizê-lo.

A vida virtuosa: 1-Temperança

 A vida virtuosa: Temperança


Tradução de Art of Maninless



Este é o segundo de uma série de posts sobre como viver uma vida virtuosa como Benjamin Franklin. Existe uma ideia com menos apelo hoje em dia do que temperança? No entanto, quando Benjamin Franklin começou sua busca pela vida virtuosa, foi nessa virtude que ele decidiu se concentrar primeiro. A maneira como Ben ordenou suas 13 virtudes foi deliberada. Ele escolheu a temperança para lançar seu programa de auto aperfeiçoamento porque:

… Tende a obter aquela frieza e clareza de cabeça, tão necessárias onde se deve manter vigilância constante e proteção contra a atração incessante de hábitos antigos e a força das tentações perpétuas.


Em outras palavras, primeiro atingir a autodisciplina na área de comida e bebida tornaria mais fácil a adesão a todas as outras virtudes.

Por que é isso? A fome e a sede são alguns dos impulsos mais primordiais e, portanto, alguns dos mais difíceis de controlar. Portanto, ao buscar obter autodisciplina, deve-se começar com os apetites mais básicos e trabalhar a partir daí. Um homem deve primeiro controlar seus impulsos internos, antes de enfrentar as virtudes mais externas. Uma mente clara e um corpo saudável são pré-requisitos para a busca de uma vida virtuosa.


Coma para não ficar entorpecido

O glutão é muito mais que um animal e muito menos que um homem. ~ Honore de Balzac


Você já percebeu que as primeiras mordidas em uma comida deliciosa são as melhores? Depois de comer algo por algum tempo, os sabores vibrantes tornam-se significativamente embotados.

Hoje, muitas pessoas enfiam comida na boca com tanta rapidez que seu paladar nunca tem a chance de registrar essa transição. No entanto, a mudança é uma das maneiras pelas quais seu estômago tenta lhe dizer que está cheio e precisa que você pare de comer. Infelizmente, as pessoas ignoram esse sinal e continuam a comer muito depois dele. A consequência não é apenas uma experiência alimentar muito menos agradável, mas um intestino cada vez maior.

Muitas pessoas notaram o paradoxo de que cozinheiros gourmet, que passam o dia todo em volta da comida, geralmente estão em boa forma. Mas realmente não é nenhum mistério. Esses chefs comem apenas os melhores e mais deliciosos alimentos e, quando jantam, realmente saboreiam cada mordida.

Há um milhão de livros de dieta por aí, mas a única coisa que uma pessoa precisa saber para manter uma cintura decente é: coma quando estiver com fome, pare quando estiver cheia. Não coma em frente à TV ou indo de um lugar para outro. Sente-se para uma refeição adequada. Saboreie cada garfada e pense nos sabores que está experimentando. Coloque o garfo entre as mordidas. Quando os sabores ficarem menos vibrantes e seu estômago começar a ficar cheio, pare de comer.


Não bebas à embriaguez

Beber torna as pessoas tão idiotas, e as pessoas já são tão idiotas para começar, que chega a ser um crime. ~ Robert Benchley


Muitos homens varonis na história desfrutaram de um ou dois drinques. No entanto, em algum lugar ao longo do caminho, os homens começaram a pensar que era viril beber destilados por um funil preso à boca. No entanto, existem realmente poucas coisas menos virtuosas do que ficar bêbado e desmaiar.

Os homens não devem tentar entorpecer-se na busca de bem estar ou divertimento. Certamente, não é preciso falar sobre o quanto é importante estar totalmente presente em cada momento. No cerne da masculinidade está a crença na responsabilidade pessoal. Mas o excesso de bebida e a responsabilidade pessoal estão em conflito. Quando uma pessoa está bêbada, não se pode dizer que ela está 100% no controle de suas escolhas. Portanto, se algo der errado, eles geralmente culpam o álcool. Um verdadeiro homem está no controle de si mesmo em todas as situações.

Os homens também devem procurar se livrar de qualquer tipo de dependência. O álcool pode causar várias, sendo o mais óbvio o alcoolismo absoluto. Mas beber com frequência também pode tornar o homem dependente de bebidas alcoólicas para ter confiança e se divertir. Torna-se uma muleta. Os verdadeiros homens serão confiantes o suficiente para não precisar de coragem líquida e energia o bastante para se divertir por si mesmo, com sua personalidade e charme.


Temperança na vida de Robert E. Lee

Eu gosto de uísque. Sempre gostei e é por isso que nunca bebo. ~ Robert E. Lee


O Robert E. Lee, general do exército confederado durante a Guerra Civil Americana, viveu a virtude da temperança. Lee era um estrategista militar magistral. Ele se formou em segundo lugar em sua classe em West Point e não recebeu nenhum demérito enquanto lá. Ele liderou um exército confederado maltrapilho em batalhas inigualáveis contra a União e venceu várias delas.

Parte do sucesso de Lee como líder militar pode ser atribuída ao pensamento claro que veio com a abstinência de álcool. Falando ao homem sobre a necessidade de evitar o álcool, Lee disse:


Já lhe ocorreu que, quando chegar à meia-idade, você pode precisar de um estimulante, e se você se acostumou a tomar estimulantes na infância, vai precisar de muito mais para ter o efeito desejado no momento em que você pode precisar isto? Seria muito melhor se o jovem deixasse intoxicantes em seus dias de estudante.


Conclusão

Os homens frequentemente tentam se entorpecer com comida e álcool para evitar lidar com seus problemas reais. Mas ser um verdadeiro homem envolve enfrentar os problemas de frente. Adquirir autodisciplina para moderar a ingestão de alimentos e álcool lhe dará confiança para começar a fazer outras melhorias em sua vida.

Continuando nossa série, teremos o Silêncio.....vejo-os lá.



Tradução: Paulo Maurício M. Magalhães

A busca de uma vida virtuosa

 A busca de uma vida virtuosa por 

Benjamin Franklin


Introdução

A busca de construir templos à virtude é um dos grandes objetivos da maçonaria e do maçom em especial. Há inúmeras coletâneas e interpretações para as diversas virtudes. Em nosso meio, uma das coletâneas mais conhecidas são as sete virtudes DeMolay, mas aqui eu gostaria de iniciar uma série na qual vamos abordar as virtudes selecionadas por um Grande Maçom: Benjamin Franklin. Para tal, apresentaremos a tradução de um site chamado "The art of maniness" ou a "arte da masculinidade". O autor original não é maçom, mas sua interpretação vale nossa meditação.  


Tradução de Art Of Maninless


Quando a maioria das pessoas hoje ouve a palavra "virtude", geralmente não pensa em "masculinidade". Ter virtude ou ser virtuoso é considerado maricas ou efeminado. Na verdade, às vezes usamos a palavra no vernáculo de hoje para descrever a conduta sexual de uma mulher.
No entanto, a virtude está longe de ser maricas ou efeminada. A palavra "virtude" está realmente enraizada em "masculinidade". “Virtude” vem do latim virtus, que por sua vez é derivado de vir, latim para “masculinidade”. Cícero, um famoso estadista e escritor romano, enumerou as virtudes cardeais que todo homem deve tentar cumprir. Elas incluíam justiça, prudência, coragem e temperança. Para ter honra, um homem romano tinha que viver cada uma das quatro virtudes. Quando Aristóteles encorajou os homens no mundo antigo a viver “uma vida virtuosa”, foi realmente um chamado para o homem se levantar.


Um homem aceitou o desafio de Aristóteles de viver uma vida virtuosa ou viril com fervor particular: Benjamin Franklin.


A busca de Franklin pela perfeição moral

Benjamin Franklin é uma lenda americana. Ele inventou com facilidade a ideia do "self-made man". Apesar de ter nascido em uma família pobre e ter recebido apenas dois anos de educação formal, Franklin se tornou um impressor, cientista, músico e escritor de sucesso. Ah, e em seu tempo livre ele ajudou a fundar um país e depois serviu como seu diplomata.

A chave para o sucesso de Franklin foi seu esforço para se aprimorar constantemente e realizar suas ambições. Em 1726, aos 20 anos, Ben Franklin estabeleceu sua meta mais elevada: a obtenção da perfeição moral.


"Eu concebi o projeto ousado e árduo de chegar à perfeição moral. Eu gostaria de viver sem cometer nenhuma falta em nenhum momento; Eu conquistaria tudo aquilo a que qualquer inclinação natural, costume ou companhia pudesse me levar."



Para atingir seu objetivo, Franklin desenvolveu e se comprometeu com um programa de aprimoramento pessoal que consistia em viver 13 virtudes. As 13 virtudes foram:

  1. "TEMPERANÇA. Não coma até ficar entorpecido; não beba até a embriaguez.”
  2. "SILÊNCIO. Não fale senão o que pode beneficiar os outros ou a si mesmo; evite conversas fúteis.”
  3. "ORDEM. Deixe todas as suas coisas terem seus lugares; deixe cada parte do seu negócio ter seu tempo.”
  4. "DECISÃO. Proponha-se realizar o que você deve; execute sem falha o que você decidir.”
  5. "FRUGALIDADE. Não faça despesas a não ser fazer o bem aos outros ou a si mesmo; ou seja, não desperdice nada.”
  6. "INDUSTRIOSIDADE. Não perca tempo; esteja sempre fazendo algo útil; corte todas as ações desnecessárias.”
  7. "SINCERIDADE. Não use engano prejudicial; pense inocentemente e com justiça e, se você falar, fale de acordo.”
  8. "JUSTIÇA. Não errar ao causar lesões ou omitir os benefícios que são seu dever.”
  9. "MODERAÇÃO. Evite extremos; evite ressentir-se dos ferimentos tanto quanto você acha que eles merecem.”
  10. "HIGIENE. Não tolere impurezas no corpo, roupas ou habitação.”
  11. "TRANQÜILIDADE. Não se deixe perturbar por ninharias ou por acidentes comuns ou inevitáveis.”
  12. "CASTIDADE. Não use a sexualidade senão para a saúde ou prole, nunca para a pura languidez, fraqueza ou para prejudicar a sua própria paz ou a reputação de outra pessoa."
  13. "HUMILDADE. Imite Jesus e Sócrates.”

Para controlar sua adesão a essas virtudes, Franklin carregava um pequeno livro com 13 gráficos. Os gráficos consistiam em uma coluna para cada dia da semana e 13 linhas marcadas com a primeira letra de suas 13 virtudes. Franklin se avaliava no final de cada dia. Ele colocou um ponto próximo a cada virtude que cada um havia violado. O objetivo era minimizar o número de marcas, indicando assim uma vida “limpa” e livre de vícios.
Franklin se concentraria especialmente em uma virtude a cada semana, colocando essa virtude no topo do gráfico da semana e incluindo um "preceito curto" para explicar seu significado. Assim, após 13 semanas, ele havia passado por todas as 13 virtudes e, então, começaria o processo novamente.

Quando Franklin começou seu programa, ele se viu colocando mais marcas no livro do que gostaria. Mas com o passar do tempo, ele viu as marcas diminuírem.
Embora Franklin nunca tenha cumprido seu objetivo de perfeição moral e tenha algumas falhas notáveis ​​(mulherengo e seu amor pela cerveja provavelmente lhe deram problemas com castidade e temperança), ele sentiu que se beneficiou da tentativa.



Embora eu nunca tenha chegado à perfeição que ambicionava tanto obter, na verdade fiquei longe dela, todavia pelo esforço, me tornei um homem melhor e mais feliz do que seria se não tivesse tentado.


Aplicando a busca de Franklin pela "vida virtuosa" em sua vida

Nosso objetivo aqui é  ressuscitar a ideia de que ser varonil significa ser virtuoso. Achamos que o velho Ben Franklin pode nos mostrar algumas coisas sobre a melhor maneira de viver uma vida virtuosa (ou viril).
Para ajudá-lo a viver uma vida virtuosa, vamos destacar uma das virtudes de Ben, na qual você pode se concentrar ao longo da semana. Encontraremos um grande homem da história que exemplificou essa virtude e extrairemos dele lições práticas que podem nos ajudar a viver essa virtude mais plenamente. Quando terminarmos com as virtudes de Franklin, adicionaremos mais algumas.



Leia o resto da série das 13 virtudes

A medida que publicarmos cada módulo desta série iremos colocar aqui abaixo o respectivo link. Se para você está vazio, parabéns, você embarcou no início. Se não está, é sempre um bom dia para começar a ser virtuoso. 


Tradução: Paulo Maurício M. Magalhães

Cultura de loja - Parte 2

 Cultura de Loja - Parte 2
 Como agir


Traduzido de Masonic Inprovement


Esta é a segunda parte da série “Construindo uma cultura de loja”, inspirada em School Culture Rewired: How to Define, Assess and Transform It, de Steve Gruenert e Todd Whitaker.

Se você não leu a postagen anterior desta série, ela está aqui.

Se você tem seguido esta série, deve saber o quão importante é a cultura de uma Loja para sua saúde e sucesso geral. Você também deve estar familiarizado com as diferenças entre clima e cultura, que papel cada um desempenha no sucesso de uma Loja e como identificar cada um ao vê-lo. Agora que os fundamentos foram abordados, podemos ir para as pedreiras e fazer algum trabalho!


Conheça seu papel

Reserve alguns momentos e reflita sobre os papéis de cada membro ativo de sua loja. Lembre-se de que não estou falando sobre o cargo que ocupam atualmente, pois isso tende a mudar com frequência, infelizmente. Em vez disso, pense nas funções que eles tendem a preencher, independentemente de seu cargo ou posição.

Veja, cada loja tem irmãos que parecem ser naturalmente considerados como líderes, outros tendem a ser os "homens sábios" que todos procuram com perguntas, outros irmãos são os solucionadores de problemas, um irmão pode ser o guru da educação, instrução, ritualística e a lista continua.

Na maioria desses casos, os cargos que esses homens ocupam não são nomeados. Em muitos casos o irmão pode nem estar ciente da função que está ocupando. Isso ocorre por causa de uma tendência natural pela qual as pessoas em um grupo aprenderão quais são os pontos fortes e fracos de seus membros e usarão essas informações para determinar seus papéis. Muitas vezes fazemos isso sem perceber que o fizemos.

Vamos levar o exercício mental anterior um pouco mais adiante: feche os olhos e imagine que alguém, talvez até você, se levante durante a sua próxima reunião e faça uma moção para aumentar as taxas em R$ 100. Concentre-se realmente em como você espera que cada um dos membros ativos de sua loja reaja a isso. Você acredita que pode prever bem as reações deles? Se você puder fazer isso e se sentir confortável com suas previsões, isso significa que provavelmente você tem uma forte cultura de Loja.

Tenha em mente que eu não disse "uma BOA cultura de loja", eu disse "uma cultura de loja FORTE", que pode ser boa ou ruim.

Você pode ter certeza de que sua loja já tem uma cultura, mesmo que você apenas tenha começado. Os membros fundadores trarão aspectos da cultura de suas lojas anteriores com eles e você acabará com uma espécie de cultura fragmentada que consiste em aspectos bons (ou maus) de outras lojas. Na verdade, isso pode ser bom porque é realmente mais fácil criar uma nova cultura quando você não tem uma cultura unificada e estabelecida já em vigor. Qualquer pessoa que tentou melhorar sua loja no passado provavelmente sentiu que seria mais fácil começar do zero do que continuar tentando mudar as coisas em um ponto. Se o pensamento passou pela sua cabeça, provavelmente é por isso.


A anatomia da Cultura da Loja

A cultura de uma loja é muito parecida com a personalidade de uma pessoa. Há um grande número de fatores que entram em jogo na formação da personalidade humana e, se uma pessoa deseja melhorar sua personalidade, ela precisa identificar quais aspectos de suas vidas estão funcionando para ela e o que está funcionando contra ela. Mudanças como essa também levam tempo e esforço concentrado para atingir o resultado desejado.

Clima

Já se falou muito sobre o clima, então não vou perder tempo explicando o que ele realmente é. Lembre-se de que o clima é muito fácil de mudar, mas essas mudanças tendem a ser de curto prazo, a menos que sejam mantidas constantemente.

Dei o exemplo da minha loja anterior, onde o clima que ajudei a criar se dissipou depois que me mudei. E se eu não tivesse me mudado e permanecido em uma posição onde pudesse continuar a implementar as mudanças que fiz no clima? Com o tempo, essas melhorias no clima acabariam se tornando parte da própria cultura.

Se você conseguir lidar com o clima da Loja e sustentar essas mudanças por um período de tempo longo o suficiente, então essas mudanças (boas ou ruins) se tornarão parte da cultura da Loja. Observe as palavras “por um período de tempo longo o suficiente”. Melhorias de longo prazo no clima afetarão a cultura de sua loja ou Grande Loja e, de acordo com Gruenert e Whitaker, “a cultura quer gerenciar a organização” (29). Quando você se encontra com um novo Venerável Mestre ou Grande Mestre a cada ano, cada um com sua própria agenda, então é quase impossível sustentar qualquer mudança de clima por tempo suficiente para ter um impacto na cultura.



Missão e visão

Se você não realizou uma reunião em sua loja para discutir seus objetivos e visão, por favor, considere fazê-lo.

Eu não escrevi nada sobre declarações de missão no passado, mas tenho certeza que irei em algum momento. Como objetivos e visões, muito já foi escrito sobre eles, tanto que você provavelmente já ouviu falar o suficiente sobre eles para saber que são importantes, poderosos e tendem a ser altamente recomendados.

Se uma visão é como o destino atual de uma loja, então sua missão é como perguntar "por que estamos fazendo isso?". Pense nisso como um ônibus espacial decolando para viajar a Marte a fim de examinar a superfície em busca de água. Você não lança uma nave sem um destino ou uma missão.

Também vale a pena apontar que a cultura de uma Loja já é sua própria missão não escrita, mas não terá uma visão por si mesma. Uma cultura administrará uma loja como ela existe atualmente, mas não é algo que é capaz de antecipar ou planejar o futuro.

Quero citar Gruenert e Whitaker novamente porque acho isso muito poderoso: “Se pudéssemos falar com a cultura, o futuro seria claro. A cultura nos diria, basta repetir o passado ”(31).

Quantas vezes você já ouviu “não é assim que sempre fizemos!”? Se você já ouviu isso, significa que a cultura está liderando a loja e não o Venerável Mestre. O papel da cultura é administrar a loja, não isentar ninguém da liderança. Lembre-se, as culturas não podem ter uma visão e uma visão é o que molda o futuro da loja.


Humor

Muitos irmãos acham que os rituais, reuniões e cerimônias devem ser conduzidos de maneira solene e séria, e eu concordo com esse sentimento. Não há nada mais desrespeitoso ou perturbador do que brincar ou fazer piadas quando estamos envolvidos em um trabalho sério. Então, por favor, não pense que estou tolerando esse tipo de comportamento.

Claro, há um tempo para trabalhar e um tempo para desfrutar da comunhão com seus irmãos. Quando a loja não está aberta ou não estamos praticando nosso trabalho, então podemos, e devemos nos permitir nos divertir e brincar.

O que é interessante é que uma piada em uma loja pode funcionar muito bem, enquanto os irmãos em outra loja não acharão nada engraçado. Isso ocorre porque o que as pessoas acham engraçado em uma cultura pode não ser divertido em outra e lembre-se de que cada loja tem sua própria cultura única.

Se vocês riem uns com os outros, isso faz com que se sintam como se todos tivessem algo em comum, criando uma experiência de união, que é muito poderosa quando você está tentando reunir todos.

Então, por favor, leve as coisas a sério, o que deveria ser, mas não permita que sua loja seja fria e sem humor, a menos que esse seja o tipo de cultura que você está buscando.


Rituais e Cerimônias

Os rituais são dramas coletivos de persuasão - eles fazem afirmações sobre a qualidade de vida e estabelecem padrões de comportamento” (Kuh & Whitt, 1988, conforme citado em Gruenert e Whitaker, 2015).

Como maçons, não somos estranhos aos rituais e qualquer irmão que contemplou o significado de seus graus provavelmente reconhecerá que seu propósito, pelo menos em parte, é nos dizer que tipo de homem devemos ser, como tal homem deve se comportar, e como permanecer no grupo de honra.

As cerimônias são rituais essencialmente públicos. Exemplos disso podem incluir a instalação de oficiais (ela é tradicionalmente pública no Rito de York, mais usado nos EUA N do T), concessão de bolsas de estudo, distintivos de 50 anos e outras cerimônias de premiação. As cerimônias podem ser usadas para reconhecer e chamar a atenção para ações ou comportamentos que se alinham com a cultura desejada da loja.


“Quando se trata de cerimônias, a qualidade é mais importante do que a quantidade”


Antes de continuarmos, há uma coisa que deve ser destacada: quando se trata de cerimônias, a qualidade é mais importante do que a quantidade. Se você der um prêmio de prestígio a um irmão todos os anos, esse prêmio começará a perder seu valor quanto mais comum for, especialmente se sua loja for muito pequena. No entanto, nem todas as cerimônias são iguais, você pode fazer muitas delas regularmente, como bolsas de estudo ou conforme necessário, como com distintivos de 50 anos.


Normas

Existem dois tipos de regras: as escritas e as não escritas. As normas se enquadram na categoria de não escritas e podem ter um pouco de poder. Quando você entra em uma loja pela primeira vez, precisa aprender várias coisas se quiser se encaixar com os irmãos de lá. Aqui estão vários exemplos de algumas normas, pois não é de forma alguma uma lista completa:

  • Falar durante reuniões 
  • Uso de telefone celular na loja
  • Linguagem aceitável (como palavrões)
  • Código de vestimenta
  • O que é levado a sério
  • O que é ignorado
  • Quanto tempo permanecer após o fechamento da Loja

O que é interessante sobre as normas é que elas têm tanto poder associado a elas que podem superar as regras escritas. Pense em alguma iniciativa que um Venerável Mestre ou Grande Mestre colocou em prática no passado e que foi completamente ignorada. A regra foi posta em prática, mas a norma rapidamente a afastou e continuou como sempre fazia.


“A cultura de qualquer organização é moldada pelo pior comportamento que o líder está disposto a tolerar” (Gruenert e Whitaker, 36) 



Desconfie das normas, pois elas podem funcionar a seu favor ou contra você. Se você deseja criar uma nova regra que irá entrar em conflito com uma norma, então você deve estar disposto a lutar o bom combate e estar pronto para a resistência que virá com ele. De acordo com Gruenert e Whitaker, “a cultura de qualquer organização é moldada pelo pior comportamento que o líder está disposto a tolerar” (36) e ainda permitimos que o menor denominador comum dite as culturas de nossas lojas todos os dias.

Símbolos

Isso é algo que é menos exclusivo para lojas individuais; entretanto, também não é incomum ver lojas que adotaram símbolos específicos como seus próprios e os incorporaram em sua marca.


“Desconfie das normas, pois elas podem funcionar a seu favor ou contra você”.


Os símbolos representam o que é mais importante para uma organização e, como maçons, temos muitos. Eles tendem a ter um significado profundo que normalmente só é transmitido aos membros dessa organização, embora possam ser visíveis para qualquer pessoa ver.


Valores

Nossos valores representam o que é mais importante para nós como maçons e os ensinamos aos nossos irmãos à medida que eles passam pelo processo de graduação. A prova de que nossos processos de concessão de graus têm a intenção de transmitir certas crenças pode ser observada no próprio ritual. “Como as crenças podem ser difíceis de explicar, os grupos usam exemplos concretos como artefatos, histórias ou símbolos para permitir que estranhos saibam o que são” (Gruenert e Whitaker, 40).

Se você passou por todos os graus, a citação acima pode ter trazido vários exemplos à sua mente. A cultura de cada loja é determinada, em parte, por seus valores e esses valores contribuem para o comportamento de seus membros. Isso significa que, embora a cultura modele os comportamentos, o oposto também pode ser verdadeiro e uma mudança no comportamento pode, eventualmente, causar uma mudança na cultura se continuar por tempo suficiente, o que pode ser bom ou ruim.

Por exemplo, se a cultura de sua Loja não acredita que os graus devam ser solenes, então os irmãos não irão valorizar o trabalho e seu comportamento irá refleti-lo. No entanto, se alguns irmãos começarem a levar o trabalho muito a sério e persistirem com o tempo, então começará a impactar a cultura da loja.

Com isso em mente, é muito importante entender o comportamento dos novos membros por este motivo. Se não estivermos vigilantes, eles podem causar um impacto negativo em nossa cultura de loja.


Conclusão

Este post demorou muito mais do que o normal e ainda sinto que poderia ter falado muito mais. Há muitas informações aqui, então decidi que provavelmente é melhor deixar como está, pois são informações suficientes para entender o básico. Se isso for interessante para você, recomendo enfaticamente que compre uma cópia de School Culture Rewired: How to Define, Assess and Transform It, de Steve Gruenert e Todd Whitaker. Mesmo que este livro não seja maçônico por natureza, muitos dos princípios discutidos podem ser aplicados às lojas maçônicas.

Aqui estão algumas questões importantes a serem consideradas após a leitura deste post, sinta-se à vontade para compartilhar suas respostas nos comentários.

  1. A sua loja tem uma missão e visão? Em caso afirmativo, compartilhe o que é e como você determinou o que seria.
  2. Que normas você pode identificar em sua loja? Eles estão ajudando a promover a cultura desejada para sua loja ou a inibem?
  3. Há algum comportamento ocorrendo em sua loja que vai contra os valores de sua loja? Teve um impacto positivo ou negativo em sua cultura?

No Próximo Post teremos um guia para determinar uma visão e missão para sua loja.

Obrigado a todos por seu apoio! 





Uma introdução à cultura nas Lojas

Uma introdução à cultura nas Lojas


Recentemente traduzi para este blog uma sequência de artigos sobre evasão Maçônica que  teve grande audiência. Entendendo que o assunto é de interesse me veio o pensamento: qual o próximo passo? Como mudar alguma coisa em nossa loja que não esteja da melhor forma?
Assim, iniciamos uma série de 3 artigos tratando sobra cultura  e clima de loja e como mudá-lo. Espero que ajude a fomentar as mudanças que almejamos.



Traduzido de Masonic Emprovement


Se você já visitou muitas outras lojas, logo perceberá que não há duas lojas iguais. Uma loja pode estar principalmente preocupada com benemerência, enquanto outra pode estar focada na instrução; pode haver uma loja que exija que seus membros usem terno nas reuniões, enquanto  em outros lugares o traje é uma calça e uma camisa pólo.
Nesse cenário, cada loja é regular e compartilha a mesma jurisdição, então por que cada uma é tão diferente? A razão é que cada loja tem sua própria cultura única (seus usos e costumes N do T). A cultura da loja pode ser uma coisa boa ou ruim e a maioria de nós já experimentou os dois extremos do espectro, mas e se quisermos melhorar uma loja?

Esta série foi fortemente inspirada em "School Culture Rewired: How to Define, Assess, and Transform It", de Steve Gruenert e Todd Whitaker. Traçarei paralelos entre o que isso tem a dizer sobre a cultura escolar e o que sabemos sobre a cultura de uma loja. Todos nós sabemos que cada Loja é diferente e vamos examinar de perto por que isso ocorre, quais fatores moldam a cultura da Loja e o que podemos fazer para mudar a cultura da Loja para um bem maior.


Aprimorando uma cultura


Cada Loja pode melhorar de alguma forma. A melhoria contínua é um conceito importante para todas as organizações e as organizações maçônicas não são diferentes. O problema de fazer mudanças em qualquer organização é que pode ser um processo difícil e demorado, especialmente quando se tenta fazer mudanças em organizações maçônicas que vão contra a mentalidade "como sempre fizemos as coisas". Ainda assim, tem que ser feito, porque se você não está avançando, você está se movendo para trás e uma Loja pode dar apenas alguns passos na direção errada antes de ter que desaparecer ou se fundir.



Isso leva à pergunta que muitos de nós nos perguntamos no passado, que é “como podemos mudar uma loja?”. Infelizmente, o fato é que você não pode mudar uma loja diretamente, muitos irmãos entusiasmados tentaram fazer isso, mas muitas vezes descobrem muito rapidamente que provavelmente teriam mais sucesso se tentassem enxugar gelo. Há uma boa notícia, porém, que mesmo que você não possa mudar uma loja diretamente, você pode melhorar a cultura de uma loja.


Então, o que é cultura de loja, exatamente?


A cultura de uma loja é "como fazemos as coisas". Se você já ouviu "não é assim que sempre fizemos isso" ou alguma variação disso, é porque você está sugerindo ou fazendo algo que está em conflito com a cultura existente dentro dessa loja. Gostamos de revirar os olhos e fazer piadas sobre essa citação (porque, falemos a verdade, a maioria de nós já ouviu isso antes), mas é uma coisa incrivelmente útil de ouvir porque diz muito sobre a cultura pré-existente naquela loja em particular . O fato de que isso é dito com tanta frequência é porque é uma espécie de mecanismo de defesa quando os membros são confrontados com conflitos com os comportamentos previsíveis dentro de uma loja. Isso porque “para uma cultura, qualquer mudança é um vírus” (Gruenert 4).

Eu gostaria de compartilhar uma história para realmente elucidar este ponto:

Tenho muita sorte de ter sido iniciado em uma Loja que não era muito resistente a mudanças. Isso não quer dizer que fosse inovador, mas a maioria dos irmãos estava bastante aberta a novas ideias se o raciocínio fizesse sentido e as mudanças fossem justificadas.

Pouco depois de ser iniciado, estava ajudando em uma arrecadação de fundos e, enquanto carregava pacotes de água, tive uma percepção repentina: esta fraternidade nada mais era do que um clube de serviço glorificado. Agora, não há nada de errado com os clubes de serviço, mas eu não estava interessado em ser membro de um na época, então me tornei um maçom inativo.

Um ou dois anos se passaram, mas uma noite eu de repente me senti inspirado a procurar algumas informações sobre a Maçonaria online. Olhando para trás, não tenho ideia do que me levou a fazer isso, mas foi uma virada de jogo para mim. Eu encontrei um site chamado “Masons of Texas” (que agora é "Minha Maçonaria") e fui apresentado a ideias e conceitos sobre nossa fraternidade que eu nunca teria aprendido se limitasse minha educação maçônica dentro das paredes de minha loja.

Então eu me tornei ativo novamente e finalmente fui eleito para ser o Venerável Mestre de minha loja. Foi uma grande honra e foi um ano excelente. Alguns outros irmãos e eu tínhamos trabalhado arduamente para melhorar nossa loja e tudo deu frutos durante esse tempo. Nossas reuniões tornaram-se solenes e significativas, tivemos instrução em todas as reuniões, começamos a construir uma biblioteca, tivemos vários eventos de muito sucesso, a lista continua.

Pouco depois de terminar meu ano no Leste, fui contratado para dar aulas em uma  cidades distante. Não era tão longe que eu não pudesse visitar minha antiga Loja, mas ainda estava longe o suficiente para que a frequência regular pudesse ser um problema, então transferi minha associação para uma Loja em minha nova cidade.

O tempo passou e comecei a ouvir rumores muito infelizes sobre minha antiga loja, então fiz uma visita a eles durante uma de suas reuniões e confirmei meu pior medo: os rumores eram verdadeiros! Minha antiga Loja havia sido completamente revertida ao estado em que estava antes de começarmos todo o nosso trabalho, na verdade, a Loja estava (e está) em pior estado do que nunca!


Qual é a diferença?

A moral da minha história é que você pode passar o tempo que quiser tentando melhorar uma loja, mas se a única coisa que você conseguir mudar for o clima, então as coisas irão eventualmente voltar a ser como eram.

Isso não quer dizer que o clima não seja importante! Uma Loja pode ter uma cultura muito saudável, mas se você visitá-la em uma noite em que o clima é ruim, você pode ter uma impressão errada.

Vamos dar uma olhada nas diferenças entre cultura e clima:


Cultura…

  • É a personalidade da Loja
  • Limita nossos processos de pensamento
  • Leva anos para evoluir
  • É baseado em valores e crenças
  • Está sempre presente, embora não possa ser sentido
  • É “a maneira como fazemos as coisas por aqui” (todos nós já ouvimos isso!)
  • Determina se a melhoria é possível


Clima…

  • É a atitude da Loja
  • Cria um estado de espírito
  • É fácil mudar
  • É baseado na percepção
  • Pode ser sentido quando você entra em uma sala
  • É “a maneira como nos sentimos por aqui”.
  • É a primeira coisa que melhora quando mudanças positivas são feitas

(Fonte: Gruenert 10)

Outra maneira de ver isso é associando cultura com personalidade e clima com atitude. Cada um de nós tem ambos e é seguro dizer que nossas personalidades não mudam muito, mas nossas atitudes certamente podem (se algum leitor passar muito tempo perto de adolescentes, ele pode atestar isso).

Isso não significa que nossas personalidades não mudem, em muitos casos, elas mudam naturalmente com o tempo e um esforço consciente pode até ser feito para melhorar sua personalidade, mas isso leva tempo e esforço (assim como mudar a cultura).

Além disso, lembre-se de que uma pessoa com uma ótima personalidade pode ter uma atitude ruim um dia, ou uma pessoa com uma personalidade terrível pode ter uma ótima atitude um dia. Embora isso possa afetar nossas primeiras impressões, suas atitudes naquele momento não são de forma alguma indicativas de suas personalidades reais.

Muito parecido com o trabalho que envolve o aprimoramento de sua personalidade, os maçons que optam por trabalhar para melhorar sua cultura de Loja precisam entender que esta jornada é uma estrada difícil e acidentada. Levará vários anos antes que a cultura da Loja mude a um ponto em que guie os comportamentos dentro da Loja.


Conclusão

Sabemos  que cultura é “como fazemos as coisas por aqui”. Se o objetivo é mudar a forma como as coisas são feitas (e se você leu até aqui, assumirei que é por isso que está aqui), você precisa ter certeza de que tudo o que está mudando na loja é a própria cultura e não o clima (embora a cultura possa afetar o clima).

Em minha próxima postagem, veremos alguns conceitos e ferramentas reais que podem ser implementados para começar a melhorar a cultura de sua loja. Vejo você então!



Este é o primeiro de uma série de 3 artigos a serem publicados toda quarta e sábado.( N do T).


Tradução: Paulo Maurício M. Magalhães

Últimos Posts